quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Quatro anos de Saudades

O dia amanheceu como aquele 03 de novembro de 2007: frio, cinza e ventando. Eu estava gripada como hoje e sentia que minha vida acabaria ali, no instante em que vi meu avô dormir para a eternidade.
Era tão bom chegar perto dele, e ele cochichar em meu ouvido: “Thaíde, minha neta preferida!” e gargalhava ao ver a minha reação de ego mais amaciado do mundo e satisfação... Ele contava histórias que nos fazia rir e refletir perante a sabedoria que era só dele. Ele só esqueceu de contar a única história que até hoje me pergunto porque teve que existir. Enquanto ele dormia pra sempre, eu chegava perto dele e perguntava-lhe porque aquilo precisou acontecer. As respostas não vinham. Eu perguntava a Deus porque aquilo acontecia comigo, e me sentia egoísta ao olhar para o sofá verde que a minha avó estava sentada, e fixava o olhar apenas na janela da sala. O sofrimento da minha avó era tão grande, que deixei meu avô ali, intacto e fui para o lado dela.
Ela acreditava em algo que não queria estar vivendo, e eu não acreditava como uma mulher que viveu ao lado de um homem 49 anos conseguia ser mais forte que eu.
Vovô era tão menino, que quando o médico o contou que ele estava com ‘a doença ruim’ de forma científica, ele agiu normalmente, como se tivesse recebendo a notícia de uma dor de cabeça que passaria assim que tomasse o primeiro analgésico. E foi bem desta forma. O fato dele não assimilar a gravidade que carregava em seu corpo, prolongou seus dias ao meu lado, mas só após algum tempo que percebi isto.
Naquele 2007, eu fazia planos com meu avô para buscá-lo perfumado no dia do meu aniversário, e exatamente 1 mês antes, ele me deixou fisicamente. Naquele 2007, vovô me falava com alegria que estaria no primeiro banco da Igreja no dia do meu casamento, e fisicamente eu não o vi, mas senti a presença do meu coroa ao rezar o ‘Pai Nosso Cantado’ que ele me ensinou.
Todo 03 de novembro lembro do aniversário de três amigos de infância. Há quatro anos lembro que foi exatamente nesta data que meu avô deixou de me contar suas histórias que me faziam rir e que refletem aprendizado para o resto da minha vida. Há quatro anos não consigo conter minhas lágrimas. Há quatro anos sinto uma dor inexplicável, um vazio, um aperto no coração que só eu sei como incomoda. Há quatro anos eu tento imaginar (e não consigo) como será meu reencontro com meu contador de histórias.
Vovô Tião, sei que olha pra mim todos os dias e me protege aí do céu. Meu amor por você só multiplica, meu anjo maior!

Thaís Livramento
03 de novembro de 2011.

13 comentários:

  1. Esta ternura imensa com que fizeste este post fizeram dele um post único... um post que me tocou muito.
    Toma muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Rima...
    Ele faz muita falta...
    Lágrimas de saudade de meu segundo pai terreno...
    Obrigada pela homenagem tão merecida...
    Reticências para ele, que sempre será em nós e em nossos...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Tenho certeza Tha, que ele olha por ti a cada momento. Bj

    ResponderExcluir
  4. Lindo, ele sempre estará olhando para ti, luz.
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  5. Rima, essa foto de vovô é do dia dos pais de 2007...

    ResponderExcluir
  6. Não sei se ele pode ler as palavras, mas espero que possa enxergar os sentimentos. Muito bonito. Que a saudade amenize, querida.
    bjos

    ResponderExcluir
  7. ...muito bonito... esta sua homenagem...parabéns!
    Com certeza, ele "leu' suas "palavras"
    Abraços e final de semana de muita luz!


    quando der visite; felisjunior.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Saudações Thais! Sei o que sentes... mas não quero ir adiante com coisas tristes, huh? Capoeira... devia ser bacana... acho muito lindo ver, mas como sou travada, quase nem dou certo no jiu-jitsu, imagina envolver ginga...rsrsrs... travada é meu 2° nome.. nem dança de salão sei dançar! Rsrsrsr... beijos e abraços!

    ResponderExcluir
  9. Olá! Vim agradecer sua participação e, principalmente, o comentário carinhoso, para este blogueiro. Um incentivo á um iniciante na blogosfera! Obrigado...e espero q vc cumpra a promessa,e volte sempre!
    Eu sou o centésimo seguidor aqui, hein!Sagitariano para sagitariana!
    Beijos carinhoso e boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Thaís,
    Um post transbordando sentimentos...
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. .


    Gostei tanto deste blog que resolvi
    ficar por aqui. Estou te seguindo
    e adoraria se seguisses o meu...

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  12. -
    juro a vc, que depois de ler seu texto, tenho os mesmos sentimentos que vc tem pelo Vô Tião.
    é como ja disse uma vez, menina talentosa, continue nos privilegiando com seus texto viu.
    e pode estar certa de que o Vô Tião ta la em cima olhando por vc e por todos nós

    ResponderExcluir